Proteção á Mulher

Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher avança na análise de projetos relativos à condição feminina

Reunião ocorreu nessa segunda-feita (26)

Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher avança na análise de projetos relativos à condição feminina
Foto: Orlando Kissner/Alep
Publicado em 27/06/2023 às 14:50

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher realizou reunião ordinária nesta segunda-feira (26) para analisar projetos em favor das mulheres paranaenses. Três projetos debatidos apontam o dia da Mulher na Ciência, Dia da Mulher Agricultura e a Semana Estadual de Combate à Violência Doméstica e Sexual Contra a Mulher.

A presidente da Comissão, deputada Cantora Mara Lima (Republicanos) comentou sobre a reunião. “Avaliamos projetos que vão ao encontro das mulheres paranaenses. A gente sabe que as vezes não é fácil chegarmos ao consenso de um projeto, porém com a força da bancada feminina, a maior da história, nós temos conseguido chegar ao bom entendimento de todos os projetos”.

O projeto de Lei nº 71/2023, de autoria dos deputados Batatinha (MDB), Anibelli Neto (MDB), Denian Couto (Podemos), Do Carmo (União Brasil), Douglas Fabrício (Cidadania), Samuel Dantas (Solidariedade) e Thiago Bührer (União Brasil), que institui o Dia da Mulher na Ciência a ser comemorado anualmente na data de 11 de fevereiro, teve como relatora a deputada Ana Júlia (PT), que destacou “o crescimento da participação das mulheres na ciência e tecnologia, participando cada vez mais nas novas pesquisas e projetos de inovação, com dedicação e superando os desafios da área. A força feminina, cada vez mais presente na tecnologia e na inovação, inspirando em novas pesquisas que seus resultados beneficiam toda a sociedade”. O projeto foi aprovado por unanimidade.

O projeto de Lei nº 158/2023, de autoria do deputado Hussein Bakri (PSD), institui o Dia da Mulher Agricultora no estado do Paraná e teve como relatora a deputada Cloara Pinheiro (PSD), que justificou o crescimento da participação feminina no campo, “cada vez mais numerosas e desempenhando inúmeras funções essenciais para a atividade, o que mostra que há uma crescente representatividade feminina no setor”. O projeto foi aprovado por unanimidade

O projeto de Lei nº 368/2023, de autoria da deputada Cantora Mara Lima (Republicanos) altera a Lei nº 17.806/2013, que institui a Semana Estadual de combate à Violência Doméstica e Sexual Contra a Mulher a ser realizada anualmente na segunda semana do mês de agosto, e teve como relatora a deputada Flávia Francischini (União Brasil), que relatou a importância da alteração da data de agosto para setembro uma vez que o mês de setembro é conhecido como “Setembro Amarelo”, um mês inteiro de prevenção ao suicídio.

A deputada Cantora Mara Lima explicou que os indicadores de suicídio no país apontam que os homens comentem mais suicídio que as mulheres, mas existe aí um paradoxo já que as mulheres vítimas de violência doméstica e sexual estão extremamente suscetíveis a este ato extremo de tirar a própria vida e o número de tentativas é muito maior no que entre os homens, demonstrando a fragilidade psicológica sofrida por elas. “Então a transferência da data para a segunda semana do mês de setembro vai ao encontro das campanhas de conscientização ao suicídio e aos cuidados que a mulher merece no atendimento mental quando são vítimas de violência”.