DESENVOLVIMENTO E SUSTENTABILIDADE

Copel estabelece foco em desenvolvimento social e sustentabilidade para os próximos anos

Companhia publicou o Relato Integrado 2022, com balanço de seus ativos e a visão para o futuro. Entre as metas destacam-se o aumento da geração de energias renováveis, a troca de metade de seus veículos por modelos elétricos e a modernização das redes e do sistema de atendimento ao cliente.

Copel estabelece foco em desenvolvimento social e sustentabilidade para os próximos anos
Arte: COPEL / PR
Publicado em 22/06/2023 às 10:15

Maior empresa do Paraná e um dos principais grupos de energia do país, a Copel acaba de publicar o Relato Integrado 2022, que traz um balanço de seus ativos e a visão da companhia para os próximos anos de atuação, com destaque para a indução do desenvolvimento socioeconômico e regional e a sustentabilidade. Entre as metas estabelecidas para cumprimento até o fim desta década, destacam-se o aumento da geração de energias renováveis, a troca de metade de seus veículos por modelos elétricos e a modernização das redes e do sistema de atendimento ao cliente.

Atualmente, 93,8% do potencial de geração das usinas da Copel têm origem em fontes renováveis. A empresa trabalha para alcançar os 100% até 2030, com crescimento de empreendimentos com fontes de menor impacto ambiental, baseadas em geração de energia a partir dos ventos e do sol.

A tendência é importante no cuidado com o meio ambiente, porque reduz as emissões de gases do efeito estufa. Aliada à geração de energia limpa, está a preservação de 25 mil hectares de florestas em áreas de preservação permanente, terrenos na Serra do Mar paranaense e Unidades de Conservação Ambiental já instituídas por lei ou planejadas. Já nas áreas urbanas, de acordo com o Relato Integrado, só em 2022 a Copel forneceu 5.750 mudas de árvores para 17 municípios.

O exemplo é praticado também “dentro de casa”: ainda de acordo com o documento, desde 2017, ações internas alcançaram 27% de redução do consumo de energia elétrica nas instalações próprias e 39% de redução das emissões de gases do efeito estufa pelos carros da empresa. As metas de reuso e reciclagem de materiais também têm sido atingidas, com índices de 83% nas operações de geração e transmissão, e de 90% nas operações na área de distribuição de energia.

DESENVOLVIMENTO SOCIAL – Outra questão exposta no Relato Integrado da Copel diz respeito aos programas dedicados ao desenvolvimento socioeconômico das comunidades atendidas. Uma das iniciativas mais expressivas neste sentido é o Programa Energia Solidária – mantido pelo Governo do Estado e operacionalizado pela Copel – que garante acesso gratuito à energia elétrica para famílias de baixa renda. No último mês, foram 390 mil famílias beneficiadas, ou cerca de 1,5 milhão de paranaenses.

Também é elencado como fundamental no fortalecimento da economia e geração de renda o programa Paraná Trifásico, que já atingiu metade das obras previstas, reduzindo em 13% os desligamentos no campo. Os investimentos trazem maior eficiência energética para o cliente e redução de perdas de energia durante a distribuição, sendo prevista a construção de 25.000 km de redes até 2025. Ainda na linha de melhoria na eficiência da distribuição de energia, há a expectativa de implantação de medidores inteligentes para atender até 30% dos 5 milhões de clientes da Copel até 2024, possibilitando maior capacidade do cliente gerenciar seu consumo.

A modernização das redes elétricas também contribui com o meio ambiente, já que reduz a necessidade de deslocamento a campo para identificar falhas durante desligamentos e para a realização de serviços comerciais como a leitura do consumo e a entrega das contas de luz, que podem ser enviadas através de e-mail.

O programa de voluntariado corporativo da Copel, EletriCidadania, é mais um destaque no âmbito da responsabilidade social. Em 2022, foram 1.648 horas de trabalho voluntário doado pelos funcionários da empresa, em projetos de educação para o uso consciente e seguro da energia elétrica, e de integração social de migrantes e refugiados, entre outros. Para estes estrangeiros, uma cartilha publicada em seis idiomas informa sobre o acesso a programas sociais e serviços básicos de energia.

INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE – Algo que o relatório recém-publicado deixa claro é que a vocação da Copel para a inovação será, cada vez mais, usada em favor da sustentabilidade. Além das formas já conhecidas para o desenvolvimento de produtos e serviços, como os projetos de Pesquisa e Desenvolvimento – que absorveram R$ 94,8 milhões em 2022 -, a empresa tem criado outros mecanismos para dinamizar os processos disruptivos em seus negócios. Estruturou um fundo de capital de R$ 150 milhões para financiar novas soluções em áreas como energia renovável e redes inteligentes, e segue com a realização do Programa Copel Volt, responsável pela aproximação com startups que possam atender o mercado de energia. Em 2022 também foi realizada a primeira edição de uma maratona de inovação ao estilo Hackathon, aberta a estudantes universitários.

MELHOR DO BRASIL – As práticas sociais, ambientais e de governança fizeram a diferença na avaliação que deu à Copel o título de melhor empresa de energia elétrica do Brasil em 2022, em uma premiação promovida pelo jornal Valor Econômico. Os negócios da Companhia também receberam reconhecimentos pela excelência em seus processos e gestão, com destaque para a Copel Distribuição, que figura entre as melhores distribuidoras do Brasil e da América Latina nos últimos cinco anos. Esses diferenciais ajudam a manter a Copel nas carteiras da bolsa de valores de São Paulo: Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), por 17 anos, no Índice Carbono Eficiente (ICO2 B3) e no Índice Great Place to Work (IGPTW). Além da B3, a Copel tem ações negociadas nas bolsas de valores de Nova York e Madri.