Imunização

Deputado Ney Leprevost (União) propõe Campanha Estadual de Vacinação Infantil

De acordo com o texto, a escola deverá comunicar aos pais e responsáveis de todos os alunos, e divulgar na comunidade, as datas da visita das equipes de saúde, com no mínimo cinco dias de antecedência, orientando as pessoas a levarem o cartão de vacinação e a autorização para tomar a vacina.

Deputado Ney Leprevost (União) propõe Campanha Estadual de Vacinação Infantil
Créditos:Venilton Küchler/SESA
Publicado em 21/06/2023 às 8:55

O Programa Nacional de Imunização (PNI) é uma referência mundial em saúde pública e representa uma das mais importantes ações de saúde do cenário brasileiro. Porém, de acordo com o Ministério da Saúde, a média de cobertura vacinal no Brasil caiu de 97%, em 2015, para 75% em 2020.

A disseminação em massa de fake news anti vacinas foi um dos fatores que fizeram com que diversas doenças que já eram consideradas erradicadas voltassem a aparecer na população brasileira. Segundo estudo publicado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o sarampo, por exemplo, era tido como eliminado em 2016, mas nos últimos anos voltou a oferecer perigo para a população. O aumento do número de casos de poliomielite (paralisia infantil), difteria e rubéola também revela o perigo que a falta de vacinação pode oferecer para a sociedade.

Preocupado em retomar os bons índices de vacinação, o deputado Ney Leprevost (União), presidente da Frente Parlamentar da Medicina na Assembleia Legislativa, protocolou projeto de lei propondo a Campanha Estadual de Vacinação Infantil.

“É necessário conscientizar os pais que a imunização é um direito das crianças e adolescentes a campanha que proponho tem como objetivo intensificar, com autorização dos responsáveis pelas crianças, as ações de vacinação e elevar a cobertura vacinal infanto-juvenil”, enfatizou Ney Leprevost.

De acordo com o texto, a escola deverá comunicar aos pais e responsáveis de todos os alunos, e divulgar na comunidade, as datas da visita das equipes de saúde, com no mínimo cinco dias de antecedência, orientando as pessoas a levarem o cartão de vacinação e a autorização para tomar a vacina. Poderão ser vacinados todos os alunos que portarem carteira de vacinação e forem autorizados por seus pais ou responsáveis.