Cultura e Economia

Estado lança Observatório da Cultura para medir impacto do setor na economia

A medição do PIB da Cultura será feita pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (SEPL) do Estado, contratada pela Cultura Paraná para esse objetivo.

Estado lança Observatório da Cultura para medir impacto do setor na economia
Estado lança Observatório da Cultura para medir impacto do setor na economia Foto: Kraw Penas/SEEC
Publicado em 20/06/2023 às 11:47

A Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) lança na segunda-feira (19), durante o CirculaMinC, em Foz do Iguaçu, o Observatório da Cultura, dispositivo que irá, entre outras ações, mensurar o impacto econômico das atividades culturais nas macrorregiões do Estado do Paraná, consolidando assim o chamado PIB da Cultura. 

A medição do PIB da Cultura será feita pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (SEPL) do Estado, contratada pela Cultura Paraná para esse objetivo. 

Segundo a secretária de Estado da Cultura, Luciana Casagrande Pereira Ferreira, é preciso se basear em indicadores confiáveis para a construção de políticas públicas que se pretendem sólidas e sustentáveis. “Quando fizemos a Bolsa Qualificação, o cadastro dos participantes mapeou os fazedores e fazedoras de cultura de todo o Estado. Isso foi um grande avanço porque inserimos essas pessoas em ações que vieram depois. Agora, damos um passo além. Esse levantamento será um norteador para as nossas ações cada vez mais descentralizadas e assertivas”, afirma. 

Recriada em 2023, a Secretaria de Estado da Cultura é responsável, entre várias outras competências, pela formulação e implementação das políticas e diretrizes do Governo do Estado para a cultura e pela articulação de políticas, programas e projetos que envolvem os fazeres artísticos e culturais.

O diretor de Apoio, Fomento e Incentivo à Cultura da SEEC, André Avelino, observa que o Ipardes detém as ferramentas necessárias à Cultura para qualificar e dimensionar adequadamente as ações públicas e que a parceria com o instituto é um exemplo de relação interinstitucional estimulada pela gestão Ratinho Junior. “O Ipardes tem o conhecimento, fruto do longo histórico institucional na área de contabilidade social, os materiais e as metodologias necessários para a mensuração precisa do Produto Interno Bruto (PIB) da Cultura do Estado do Paraná”, afirma Avelino. 

Jorge Callado, diretor-presidente do Ipardes, observa que a união com a SEEC vem se somar ao rol de parcerias que o Instituto tem feito ao longo dos anos e que têm contribuído para o planejamento e o desenvolvimento do Estado. “O trabalho do Ipardes será apoiar a SEEC no levantamento de dados que serão catalogados e cruzar estas bases do segmento cultural dentro de um cronograma, no sentido de construir indicadores que fortaleçam a formulação de políticas para a cultura paranaense. Os primeiros relatórios serão apresentados em 180 dias”, afirma.

PIB CULTURAL – Em 2020, a economia da cultura e das indústrias criativas movimentou R$ 230,14 bilhões no Brasil, equivalente a 3,11% do PIB, segundo o Observatório Itaú Cultural. Além disso, o levantamento aponta que em 2022 o setor gerou 308,7 mil novos postos de trabalho em comparação com 2021. 

Tópicos