Imagens mostram ltimas horas de Djidja Cardoso com vida – Notícias

Imagens mostram ltimas horas de Djidja Cardoso com vida – Notícias
Publicado em 12/06/2024 às 17:12
Novos vídeos, obtidos com exclusividade pela Rede Amazônica, mostram as últimas horas de vida de Djidja Cardoso. As imagens foram gravadas no fim da noite de 27 de maio e na madrugada de 28 de maio, data da morte da ex-sinhazinha do Boi Garantido.

No registro, feito pelo ex-namorado de Djidja, Bruno Roberto, é possível vê-la segurando um frasco de cetamina na mão esquerda e uma seringa, na mão direita. Bruno pede para a ex soltar a droga. Ela resiste.

Em outro vídeo, Djidja aparece na cama enquanto procura a tampa de uma seringa. Bruno reclama que quer dormir e como resposta, ouve: “eu vou me aplicar”.

 

“Eu tentei”, diz o ex-namorado. Djidja pergunta “tentou o que?”, e Bruno responde: “Te salvar. Mas olha aí como tu tá. Tu não quer parar de usar isso.”

Djidja Cardoso morreu na madrugada, aos 32 anos. A principal hipótese da polícia é de que a morte da ex-sinhazinha tenha relação com uma overdose de cetamina, substância anestésica que causa efeitos alucinógenos.

Bruno Roberto, e o coach da família Cardoso, Hatus Silveira, foram presos na sexta-feira (7), em uma nova fase da investigação que apura a morte da ex-sinhazinha do Boi Garantido

Além deles, dois funcionários da clínica veterinária suspeita de fornecer cetamina à família de Djidja foram presos.

No sábado (8), Bruno e os demais presos tiveram a prisão preventiva mantida. Ele se encontra no Centro de Detenção Provisória Masculino I (CDPM I), onde vai responder pelo crime de tráfico de drogas, após as investigações apontarem que ele ajudava a família Cardoso a comprar cetamina.

A defesa de Bruno Roberto informou que vai entrar com o pedido de revogação da prisão temporária nesta segunda-feira (10).

Morte de Djidja Cardoso

Djidja Cardoso, empresária e ex-sinhazinha do Boi Garantido, foi encontrada morta na última terça-feira (28), dentro da própria casa, em Manaus. A principal suspeita é que ela teve uma overdose de cetamina. Ela, o irmão e a mãe já eram investigados há mais de um mês por envolvimento em um grupo religioso que forçava o uso da droga para alcançar uma falsa plenitude espiritual.

Ampolas da droga foram encontradas na casa em que Djidja morava e em salões de beleza da família. Mãe, irmão e outros três funcionários da ex-sinhazinha foram presos pela Polícia Civil, suspeitos de envolvimento no esquema.

 

Fonte: G1