treinamento prático

Inscritos no Parlamento Universitário participam de treinamento

Estudantes encheram o plenário da Assembleia Legislativa do Paraná. Alunos das Instituições de Ensino Superior do interior realizaram o treinamento de forma on-line.

Inscritos no Parlamento Universitário participam de treinamento
Evento ocorreu na noite desta quinta-feira (22), no Plenário da Assembleia Legislativa. - Foto::Orlando Kissner/Alep
Publicado em 23/06/2023 às 10:00

Os estudantes universitários que se inscreveram no Parlamento Universitário 2023, programa coordenado pela Escola do Legislativo, começaram a se ambientar com o processo legislativo e o que os espera a partir de julho, quando será realizada a simulação do parlamento, na quinta edição do programa, na Assembleia Legislativa do Paraná.

Nesta quinta-feira (22) eles participaram do treinamento do PU 2023, quando foi apresentado o funcionamento da Assembleia Legislativa e, em especial, o trâmite legislativo. O processo de formação das leis, desde a apresentação do projeto de lei, passando por todas as fases e comissões, até a sua aprovação e sanção para transformação em lei. Algo que os participantes do PU terão que fazer quando simularem as atividades de um deputado estadual a partir do dia 20 de julho, quando iniciam as atividades do Parlamento Universitário.

O curso foi ministrado pelo diretor Legislativo e também diretor da Escola do Legislativo, Dylliardi Alessi, que destacou a importância desse conhecimento, não só para os participantes do Parlamento Universitário, mas para todo cidadão. “Esse foi só o primeiro passo. Foi um treinamento para eles entenderem como funciona a Assembleia, as funções da Mesa Diretora, do presidente, dos secretários, líderes e blocos partidários, comissões e como funciona o processo legislativo, que é o trâmite de uma ideia, de um projeto até se tornar lei”, explicou.

A próxima etapa será a seleção dos estudantes que se tornarão deputados universitários. “Cada instituição vai fazer a seleção dos alunos. São 54 vagas de deputados universitários titulares e outras de suplentes e governador universitário, que depois vão fazer a simulação, votando como se fossem deputados, falando da tribuna, exercendo cargos nas comissões e como líderes partidários. Espero que seja um programa bastante proveitoso para esses alunos”, relatou.

“Ver essa Casa cheia para nós é motivo de satisfação. Essa é uma das nossas atribuições pela Escola do Legislativo e objetivo da Assembleia Legislativa, trazer a população para perto do Poder Legislativo, para que possamos nos aproximar e que eles interajam cada vez mais com a política paranaense”, completou.

O Parlamento Universitário é um projeto de ensino, pesquisa e formação política desenvolvido pela Escola do Legislativo e propõe aos participantes simular todas as atividades de um deputado estadual. A edição deste ano acontece entre os dias 20 a 28 de julho.

Números

Nesta edição, o Parlamento Universitário teve o maior número de instituições de ensino superior participantes, foram 14. Ao todo, 515 acadêmicos se inscreveram para participar do programa, de 53 cursos diferentes. Entre os inscritos, 52,82% são mulheres e 47,18% homens. Foram 364 estudantes das instituições de Curitiba e 151 do interior do estado.
Em quatro edições já realizadas, foram 3.500 inscritos e 280 selecionados para participar do programa.

Em 2017, o Parlamento Universitário ganhou o 3º Prêmio Cultural da Associação Brasileira das Escolas do Legislativo e de Contas (Abel), eleito por unanimidade como o melhor projeto educacional desenvolvido por um Legislativo brasileiro para o público externo.

Participantes
A expectativa dos participantes é grande. Ainda mais que, após o treinamento, a escolha final será feita pelas instituições de ensino e o resultado divulgado no dia 4 de julho, como relatou o estudante Mateus Felipe, do curso de Ciência Política da Uninter, de Curitiba. “Estou torcendo. Vamos ver como será o processo na universidade, para que eu possa ser um dos candidatos eleitos para participar desse programa. É importante a juventude fazer parte de políticas públicas”, disse Mateus, que ficou sabendo do Parlamento Universitário através das redes sociais. “Sou ativo no meu bairro, realizamos diversos projetos sociais em busca da melhoria da comunidade. O meu objetivo, ao fazer Ciência Política, é de termos parlamentares formados em sua área de atuação. E com o Parlamento busco o conhecimento da prática para que eu possa atuar, que é o meu objetivo entrar na área pública”, explicou.

Euci Fátima Fontana já possui duas graduações e está em sua terceira, Relações Internacionais, na Uninter, e considera o Parlamento Universitário uma grande oportunidade para todos, pois política é vital. “É uma excelente oportunidade. Meus cabelos brancos dizem minha idade e verifico a presença de muitos jovens. É uma oportunidade boa de vivência, de como funciona a Casa, como os parlamentares agem aqui dentro. Espero ser uma das selecionadas, mas acho que qualquer um que for selecionado terá a oportunidade de crescimento profissional nessa área de política, que é vital para o nosso crescimento”.

Participar do treinamento e conhecer mais sobre o processo legislativo já foi uma grande oportunidade na visão do estudante de Ciências Sociais da UFPR, Diego Zamura de Almeira. “A expectativa geral é grande. Poder aprender sobre o processo legislativo, ter essa aproximação do trabalho legislativo antes da conclusão da graduação. O programa é um processo pedagógico de aprender, participar das nossas instituições políticas que tomam as grandes decisões da nossa sociedade. A expectativa é passar, mas se não ocorrer, essa oportunidade de hoje foi de grande valor para a nossa formação”.

O Parlamento Universitário é o momento em que os professores podem apresentar aos acadêmicos a prática do conceito estudado na faculdade. É o que relatou o coordenador do curso de Ciência Política da Uninter, Lucas Massimo. “Nós, que trabalhamos como coordenador de curso, somos interpelados com a pergunta, o que eu faço na prática? Esse é o momento que a gente pode responder essa pergunta. Quando o estudante de Ciência Política, Direito, Jornalismo, História vem participar, ele vai ver como é a dinâmica, como faz a tramitação de um projeto de lei, como você convence outras pessoas a fecharem contigo em uma mesma visão. Isso é fundamental para a democracia”, afirmou.

“Um projeto como esse é uma encubadora, é a forma de mostrar aos jovens estudantes que é necessário se engajar na política, e que é necessário renovar os quadros políticos. Gostaria de saudar a Assembleia Legislativo e a Escola do Legislativo que está possibilitando essa experiência, que é muito importante para a capacitação dos estudantes que estarão na simulação”, concluiu.