Economia no Final do Mês

Integração de linhas no Terminal Guadalupe gera economia de R$ 2 milhões aos usuários

Há um ano, integração ocorre automaticamente por meio do Cartão Metrocard. Ao embarcar nas linhas metropolitanas em municípios da RMC que possuem como parada final o Terminal do Guadalupe, por um período de até 2h30 após o embarque, o usuário poderá realizar a conexão com as demais linhas metropolitanas, que têm parada no mesmo terminal, sem o pagamento de nova tarifa.

Integração de linhas no Terminal Guadalupe gera economia de R$ 2 milhões aos usuários
Integração de linhas no Terminal Guadalupe gera economia de R$ 2 milhões ao usuários
Foto: AMEP
Publicado em 03/07/2023 às 14:45

Economia de quase R$ 2 milhões para os cidadãos. Esse foi o impacto gerado com a implementação da integração temporal das linhas metropolitanas no Terminal do Guadalupe, em Curitiba, após completar no sábado (01) um ano de implantação.

A mudança foi efetivada em 2022 pela Agência de Assuntos Metropolitanos do Paraná (Amep), gestora do transporte coletivo de passageiros da Região Metropolitana de Curitiba.

A integração ocorre automaticamente por meio do Cartão Metrocard. Ao embarcar nas linhas metropolitanas em municípios da RMC que possuem como parada final o Terminal do Guadalupe, por um período de até 2h30 após o embarque, o usuário poderá realizar a conexão com as demais linhas metropolitanas, que têm parada no mesmo terminal, sem o pagamento de nova tarifa.

Neste primeiro ano de funcionamento, 398.751 usuários se beneficiaram desta integração. Considerando a tarifa média do sistema metropolitano, que é de R$ 5,00, isso significa R$ 1.993.755,00 que os usuários não precisaram pagar.

Segundo o presidente da Amep, Gilson Santos, a ação demonstra como a inovação pode tornar o sistema mais atrativo, trazendo benefícios e ainda gerar economia aos passageiro. “Esta ação gera inúmeros benefícios como a ampliação do atendimento, possibilidades de novas conexões e, principalmente, economia para o cidadão, beneficiando toda a sociedade. Esse recurso acaba sendo utilizado pelo usuário na aquisição de outros bens, produtos e serviços para o consumo próprio”, destaca.

MAIS PROCURADAS – A integração é possível entre diversas linhas, mas algumas ganham destaque. A mais procurada é entre as linhas E68 – QUISSISSANA / GUADALUPE e H01 – ARAUCÁRIA / GUADALUPE, com 5.093 integrações nestes 12 meses.

O segundo lugar também ocorre com a linha E68 – QUISSISSANA / GUADALUPE, mas com a linha C03 – PINHAIS – GUADALUPE, com 5.061 integrações.

Para o presidente da Amep, a identificação destes fluxos ajuda a compreender melhor como ocorrem os deslocamentos entre os municípios da RMC e auxilia a gestão a traçar novas estratégias visando atender melhor os usuários.

REGRAS – Não é possível fazer a integração com a mesma linha pela qual o usuário fez o primeiro trajeto. Caso isso seja aconteça, a tarifa será cobrada. Também não são aceitas integrações com as linhas municipais operadas pela Urbanização de Curitiba (Urbs). E após o período de 2h30, caso o usuário embarque em outra linha, também pagará a tarifa.

Além da integração no Guadalupe outras integrações temporais também possibilitam a conexão entre linhas locais:

Almirante Tamandaré

Entre as linhas A31-JD. GRAZIELA e A32-VILAPRADO com a linha A18-TAMANDARÉ/CABRAL.

O ponto de transferência de linhas é na Avenida Francisco Kruger, nº 2.371.

Campo Magro

Entre as linhas P14 – JD. BOA VISTA e P16 – JD. BOA VISTA (PADRE ALEIXO), P11 – CAMPO MAGRO e P12 – C.MAGRO (SÃO BENEDITO).

O ponto de transferência de linhas é na Avenida Manoel Ribas, nº 9.101 (Estrada do Cerne).

Piraquara

Entre as linhas D23-VILA MACEDO e D61-CTBA/PIRAQUARA.

O ponto de transferência de linhas é na Rod. João Lopoldo Jacomel, nº 3.733.