Igualdade Racial

Paraná e Ministério da Igualdade Racial debatem políticas públicas para a juventude negra

Começou nesta segunda-feira (17) a Caravana Juventude Negra Viva. O objetivo do evento é discutir demandas e buscar soluções para a luta racial e a violência que afeta de forma desproporcional a juventude negra. Estas demandas farão parte do Plano Juventude Negra Viva, que pretende unificar as demandas e promover mudanças reais.

Paraná e Ministério da Igualdade Racial debatem políticas públicas para a juventude negra
Foto: SEMIPI
Publicado em 18/07/2023 às 10:30

Começou nesta segunda-feira (17) a Caravana Juventude Negra Viva, evento realizado pelo Governo do Paraná em parceria com o Ministério da Igualdade Racial. Representantes do governo federal, da juventude negra, da Secretaria da Mulher, Igualdade Racial, e Pessoa Idosa (Semipi) e da Secretaria de Desenvolvimento Social e Família (Sedef) participaram da abertura, no Palácio das Araucárias, que discutiu pontos importantes para fortalecer a igualdade no Brasil.

O objetivo do evento é discutir demandas e buscar soluções para a luta racial e a violência que afeta de forma desproporcional a juventude negra. Estas demandas farão parte do Plano Juventude Negra Viva, que pretende unificar as demandas e promover mudanças reais frente aos desafios enfrentados por esse segmento da população.

A secretária estadual da Mulher, Igualdade Racial e Pessoa Idosa, Leandre Dal Ponte, destacou a parceria interfederativa na construção de um diagnóstico realista, que reflita as demandas do Estado e também do Brasil para a juventude negra. “Precisamos abordar e solucionar esse problema desde a sua origem para promover mudanças efetivas para a juventude negra do Paraná e também do Brasil”, resumiu.

Para Ronald “Sorriso” dos Santos, secretário Nacional da Juventude, o Brasil precisa firmar um pacto contra o que chamou de extermínio da juventude negra. “Precisamos de uma juventude negra viva, presente, forte e pujante, que contribui para o desenvolvimento do Paraná e de todo o Brasil”, afirmou.

“Estar aqui no Paraná, no Palácio das Araucárias, em Curitiba, para discutir o projeto Juventude Negra Viva é fundamental, dada a grande dívida que nosso País tem com a juventude negra. Nosso desafio é assegurar a eles o direito pleno à vida. Isso não significa apenas sobreviver e evitar ser vítima de violência, seja do crime organizado ou do Estado, mas também ter a possibilidade de acessos, com educação de qualidade, trabalho digno e vivência cultural”, complementou Ronald.

Denis Laurindo, coordenador de articulação política da diretora de Igualdade Racial e Povos e Comunidades Tradicionais do Paraná, afirmou que a Caravana Juventude Negra Viva é uma oportunidade de debater, coletivamente, políticas públicas e respeito às expressões culturais. “Temos dentro da Secretaria da Mulher, Igualdade Racial, e Pessoa Idosa uma Diretoria de Igualdade Racial que busca promover o protagonismo e garantir os direitos e a expressão cultural da juventude negra”, disse.


PROGRAMAÇÃO – Na segunda-feira, além da abertura, foram realizadas oficinas temáticas para debater propostas com a juventude negra paranaense, incluindo pessoas pretas retintas e não-retintas, com idade entre 14 e 29 anos. O objetivo é construir, de forma coletiva, um diagnóstico realista, que reflita a realidade de cada região do Paraná. Na terça-feira (18), a programação do evento segue com o debate das propostas debatidas durante as oficinas e a validação das contribuições para a elaboração do Plano Juventude Negra Viva.

PRESENÇAS – Também participaram do evento o secretário do Desenvolvimento Social e Família do Paraná, Rogério Carboni; a diretora de Igualdade Racial, Povos e Comunidades Tradicionais da Semipi, Clemilda Santiago; o diretor de Políticas para a Família da Sedef, Ronaldo Olmo; e a secretária de Ações Afirmativas e Combate ao Racismo do Ministério de Igualdade Racial, Márcia Lima.