destinos turísticos

Paraná quer reforçar promoção internacional de seus destinos turísticos

Assunto foi tema de reunião entre comitiva do Estado e a ministra do Turismo, Daniela Carneiro, e o presidente da Embratur, Marcelo Freixo. Foi solicitado fortalecimento de Foz do Iguaçu nas campanhas internacionais e que Foz e Curitiba recebam projetos-piloto como Destinos Turísticos Inteligentes.

Paraná quer reforçar promoção internacional de seus destinos turísticos
Paraná quer reforçar promoção internacional de seus destinos turísticos Foto: SETU
Publicado em 10/05/2023 às 17:23

Uma comitiva paranaense capitaneada pela Secretaria de Estado do Turismo (Setu) esteve em Brasília nesta quarta-feira (12) para levar propostas de parcerias e ações conjuntas ao Ministério do Turismo e à Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur). Entre elas, o fortalecimento de Foz do Iguaçu nas campanhas de promoção internacional e que Foz e Curitiba recebam projetos-piloto como Destinos Turísticos Inteligentes (DTI).

A reunião foi com a ministra do Turismo, Daniela Carneiro, e com o presidente da Embratur, Marcelo Freixo. O secretário estadual, Marcio Nunes, disse que nos últimos anos o Paraná esteve ausente das campanhas federais. “Foz do Iguaçu é o segundo principal destino internacional do Brasil, a principal porta de entrada em nosso Estado, e não faz sentido ficar de fora – ao contrário, é um grande chamariz do Brasil para turistas de todo o mundo”, afirmou Nunes. “Também propusemos parcerias e ações em conjunto visando o mercado internacional e o aumento do fluxo de turistas estrangeiros”, disse ele.

Fizeram parte da comitiva o diretor da Setu, Macelo Martini; o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; o secretário do Turismo de Foz, André Alliana; o presidente do Visit Iguaçu, Felipe Gonzales; o diretor de Turismo do Parque Tecnológico de Itaipu, Yuri Benítez; Aline Teigao, também da Itaipu; e Adelio Demeterco, da empresa Cataratas do Iguaçu SA, além de outros integrantes da Gestão Integrada do Turismo de Foz.

Os paranaenses também sugeriram que Foz do Iguaçu e Curitiba sejam incluídos como piloto para as políticas nacionais de Destinos Turísticos Inteligentes (DTI), aproveitando a relevância destes locais e a estrutura consolidada em ambas a cidades. “Colocamos a estrutura do Parque Tecnológico de Itaipu à disposição no sentido de transformar Foz e Curitiba em Destinos Turísticos Inteligentes, de forma pioneira no país”, disse o diretor da Setu Marcelo Martini.

Outra solicitação foi de apoio do Ministério para o levantamento conjunto das áreas de propriedade ou responsabilidade da União em Foz do Iguaçu e a construção emergencial de um plano de ocupação, que possa caminhar de forma integrada ao plano diretor da cidade e suas demandas de investimento externo.

MOVIMENTAÇÃO – Em 2022, o Parque Nacional do Iguaçu foi novamente o principal atrativo do Paraná, com 1.434.308 visitantes – número 118% maior do que o registrado em 2021 (655 mil). Criada em 1939, a unidade de conservação é um Patrimônio Mundial Natural classificado pela Unesco, tem quase 200 mil hectares e é a maior reserva remanescente de Mata Atlântica da região.

Em 2022, o parque foi novamente concedido à iniciativa privada por mais 30 anos. O o estudo de potencial realizado pela União para o processo de licitação prevê investimento de R$ 500 milhões em novos atrativos. De acordo com este estudo, a estimativa é atingir um patamar de quatro milhões de visitantes até o final da concessão – mais que o dobro do atual.

OUTRAS DEMANDAS – A comitiva paranaense também sugeriu a criação de um fórum permanente, de caráter consultivo ao Ministério, com os principais destinos brasileiros para discussão de políticas públicas e fortalecimento do turismo no cenário nacional. “Muitas das demandas que temos em Foz, em Curitiba, ou no Litoral paranaense são semelhantes as de outros estados e regiões turísticas. Esse debate permanente pode ajudar a acelerar soluções que beneficiem a todos igualitariamente”, pontuou Marcio Nunes.

Tópicos