ressocialização

Polícia Penal expõe trabalhos de detentos de Londrina na feira Paraná em Ação

No estande da Polícia Penal do Paraná foram expostos artesanatos, confecção e estamparia de uniformes, fabricação de blocos de concreto, produção de bolsões, entre outros trabalhos executados com mão de obra prisional, além de trabalhos de egressos e de pessoas em medidas socioeducativa.

Polícia Penal expõe trabalhos de detentos de Londrina na feira Paraná em Ação
Polícia Penal expõe trabalhos desenvolvidos por apenados de Londrina no programa Paraná em Ação
Foto: Polícia Penal do Paraná
Publicado em 10/07/2023 às 10:30

Produtos desenvolvidos por pessoas privadas de liberdade (PPLs) custodiadas em unidades prisionais de Londrina, no Norte do Paraná, foram apresentados, nesta semana, durante a feira de serviços Paraná em Ação. O evento levou à cidade uma série de serviços gratuitos como confecção de documentos, intermediação de mão de obra, cadastramento em programas sociais e serviços municipais, além de exposições e programação voltada às crianças.

Foi a primeira vez que a feira recebeu um estande com trabalhos feitos por apenados, incluindo artesanatos, confecção e estamparia de uniformes, fabricação de blocos de concreto, produção de bolsões, entre outros executados com mão de obra prisional.

Estiveram expostos, também, itens desenvolvidos pelo Complexo Social, que atende os egressos do sistema prisional e jovens que cumprem medidas socioeducativas. Um destaque foram as obras literárias produzidas pelas PPLs da Cadeia Pública Feminina de Londrina e o livro escrito por profissionais do sistema prisional, intitulado “Basta para Homens Autores de Violência Doméstica”.

O diretor-adjunto da Polícia Penal do Paraná, Maurício Ferracini, disse que a participação do departamento em programas do Governo do Estado é importante para mostrar o trabalho da instituição à população.

“Quando participamos de grandes iniciativas do Governo temos oportunidade de expor os projetos desenvolvidos pelo sistema prisional, principalmente a ação social, de tratamento penal e de formação profissional, que são ofertados aos apenados custodiados no Paraná. Isso amplia a visão do cidadão em relação ao sistema prisional, trazendo mais apoio da comunidade ao departamento”, explicou.

Segundo o coordenador regional de Londrina da PPPR, Reginaldo Peixoto, os trabalhos das pessoas privadas de liberdade apresentados na feira Paraná em Ação são resultado do treinamento e capacitação ofertados no sistema prisional. “Damos condições de entregar à sociedade um cidadão mais capacitado e preparado, diminuindo a reincidência penal”, afirmou.