Revitalização do Turismo

Portos do Paraná apresenta a moradores de Antonina projeto de revitalização do Barão do Teffé

A área de 250 mil metros quadrados, denominada ANOP 01, não é operacional para o transporte de cargas e está ociosa. A ideia é que seja construído um complexo turístico com marina no local. A proposta é decorrente de estudos desenvolvidos pela Invest Paraná.

Portos do Paraná apresenta a moradores de Antonina projeto de revitalização do Barão do Teffé
Foto: Claudio Neves/Portos do Paraná
Publicado em 13/07/2023 às 10:30

A Portos do Paraná realizou uma audiência pública nesta quarta-feira (12), no porto público Barão do Teffé, em Antonina, para dar início ao processo de cessão onerosa de área não operacional localizado no terminal. A ideia é que seja construído um complexo turístico com marina no local. A proposta é decorrente de estudos desenvolvidos pela Invest Paraná, que destacou o potencial turístico e náutico do local. A ideia é que a cessão seja por 20 anos, após processo licitatório.

A área de 250 mil metros quadrados, denominada ANOP 01, não é operacional para o transporte de cargas e está ociosa. As atividades portuárias no terminal público de Antonina foram encerradas em 2008, por restrições à navegabilidade. Esse fechamento impactou significativamente a economia do município e, com isso, o entorno do Barão de Teffé não registra atividade comercial relevante. A atividade portuária já foi o principal motor econômico do município e, apesar de continuar relevante, atualmente ocorre apenas na área arrendada do Porto Ponta do Félix.

A área onde se pretende instalar o empreendimento é passagem para pontos turísticos importantes do município como a Ponta da Pita e o recém-inaugurado Trapiche, construído pela Portos do Paraná. A cessão onerosa dessa área representará uma grande oportunidade para o município, tendo em vista a atração de novos investimentos e revitalização dessa área. Ela é inspirada nos modelos de revitalização do Cais do Valongo, em Santos, e do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro.

A marina pode abrigar embarcações de diferentes tamanhos, com vagas secas e molhadas. Além de espaço para os diferentes tipos de barcos, o empreendimento poderá contar com área de estacionamento, equipamentos de transporte e manutenção, posto de combustível náutico, equipe de profissionais especializados, loja de conveniência, entre outros. No local também poderiam ser desenvolvidas atividades de lazer, cultura, esporte, comércio, serviços, da indústria náutica, dentre outras, com o objetivo de promover integração entre porto e cidade.

“Gostaríamos que essa área passasse a integrar e interagir de forma mais harmoniosa com a cidade de Antonina”, comenta o diretor de Meio Ambiente da Portos do Paraná, João Paulo Ribeiro Santana, também presidente da comissão responsável pelo processo. “É uma área que tem um enorme potencial de se desenvolver e mudar a matriz econômica da região, que entraria fortemente na prestação de serviços”.

O prefeito de Antonina, José Paulo Vieira Azim, disse que a revitalização da área é de extrema importância par ao município. “O empreendimento viria para oportunizar à nossa comunidade uma nova fonte de desenvolvimento, de renda, dentro do que a gente quer para a cidade”, comenta. “Ver o nosso Barão do Teffé reativado, com um complexo turístico bonito, que atenda nossos visitantes e os moradores, mexeria com o humor e a alma dos antoninenses”.


AUDIÊNCIA – A sessão foi híbrida, ou seja, ocorreu presencialmente e foi transmitida também pelo canal da empresa no YouTube. Teve início às 14h e foi encerrada por volta das 15h20. Entre presentes e pessoas que acompanharam online, a audiência pública atendeu o seu propósito, contando com representantes da área portuária, poder público e sociedade, que se manifestaram com suas opiniões e contribuições. Todos questionamentos presenciais e online foram respondidos na respectiva audiência.