agronegócio

Primeiros 11 dias de atualização cadastral obrigatória de rebanhos fecha com 13,9% de registros

Cadastro é importante para ajudar a vigilância sanitária a saber onde está cada animal e acompanhar a movimentação fora dos estabelecimentos. A atualização é exigida para todas as espécies de animais de produção existentes na propriedade.

Primeiros 11 dias de atualização cadastral obrigatória de rebanhos fecha com 13,9% de registros
Primeiros 11 dias de atualização cadastral obrigatória de rebanhos fecha com 13,9% de registros Foto: José Fernando Ogura/AEN
Publicado em 15/05/2023 às 16:12

Os primeiros 11 dias de campanha de atualização cadastral do rebanho paranaense completaram-se com 13,9% da estimativa de animais do Estado declarados na Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). O período começou em 1º de maio e se estende até 30 de junho. Após isso, o transporte dos animais não declarados ficará proibido, visto a impossibilidade de se retirar a Guia de Trânsito Animal (GTA), e o produtor poderá receber as punições previstas em lei.

A atualização é fundamental para que a vigilância sanitária saiba onde estão os animais e como eles se movimentam no Estado, ajudando a garantir a condição de área livre de febre aftosa sem vacinação, o que viabiliza novos investimentos ao Paraná. O Estado optou por não impor custo ao produtor com a colocação de brinco para identificar cada animal, mas faz a exigência de que uma vez ao ano os produtores declarem seus rebanhos.

A atualização é exigida para todas as espécies de animais de produção existentes na propriedade (bovinos, búfalos, equinos, asininos, muares, suínos, ovinos, caprinos, aves, peixes e outros animais aquáticos, colmeias de abelhas e bicho-da-seda). Os produtores podem fazer de forma online pelo site da Adapar, em uma das Unidades Locais da Adapar, Sindicatos Rurais ou Escritório de Atendimento das prefeituras ou por meio do aplicativo Paraná Agro.

Segundo balanço parcial (11/05), o município de Pontal do Paraná alcançou o maior porcentual até agora, com 60% dos animais cadastrados. Dos 25 estabelecimentos que têm rebanho, dez ainda faltam comprovar. Na sequência aparece São Jorge do Ivaí, onde 35 das 64 propriedades já fizeram o cadastro, alcançando 54,69%. Em São Manoel do Paraná, o porcentual está em 36,51%, com 46 dos 126 estabelecimentos cadastrados.

Na outra ponta, os municípios de Pitangueiras (48 propriedades) e Iracema do Oeste (47) ainda estão zerados. Acima deles, cinco dos 334 estabelecimentos rurais de Quitandinha já cumpriram a obrigação, representando 1,5%. Em Contenda, apenas seis das 356 propriedades (1,69%) concluíram o registro.

Tópicos