cultura contra o racismo

Promovido pela Cultura, Movimenta Preta reflete sobre racismo e representatividade

O Movimenta Preta faz parte das atividades do Núcleo de Políticas Afirmativas da Secretaria de Estado da Cultura.

Promovido pela Cultura, Movimenta Preta reflete sobre racismo e representatividade
Museu Paranaense (MUPA), o terceiro museu do Brasil, está localizado no Largo da Ordem, região central de Curitiba. Foto: Roberto Dziura Jr/AEN
Publicado em 03/07/2023 às 17:30

A Secretaria de Estado da Cultura (SEEC) dá início em 2023 ao Movimenta Preta, que reúne a programação das instituições culturais em torno das discussões sobre o lugar e a representatividade da mulher preta em nossa cultura. O Movimenta Preta faz parte das atividades do Núcleo de Políticas Afirmativas da SEEC. “Essa é a primeira vez que consolidamos uma programação em torno do tema com várias instituições participantes. A ideia é que o Movimenta Preta cresça a cada ano e se torne um período em que refletimos sobre as desigualdades e violências em relação a esse público”, afirma Mariana Lopes, assessora de políticas afirmativas da SEEC.

CONTEXTO – No dia 25 de julho é comemorado o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra e o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha. Tereza de Benguela foi uma líder do Quilombo Quariterê que viveu no século XVIII. Depois da morte do companheiro José Piolho, Tereza se tornou a rainha do quilombo e por meio de sua liderança a comunidade resistiu à escravidão por duas décadas. Em 1770, o quilombo foi destruído pelas forças do governador da Capitania do Mato Grosso, Luiz Pinto de Souza Coutinho. Parte da  população (79 negros e 30 índios) foi assassinada e outra, aprisionada.

A data é um marco na luta contra o racismo e uma oportunidade para trazer o tema à tona, pois os dados sobre violência e desigualdade demonstram a realidade que atinge a população negra, principalmente mulheres. De acordo com a Associação de Mujeres Afro, na América Latina e no Caribe, 200 milhões de pessoas (54% da população) se identificam como negras. E  tanto no Brasil quanto no Exterior esse grupo é o que mais sofre com as desigualdades socioeconômicas e raciais.

PROGRAMAÇÃO – Entre os destaques estão atividades e espetáculos do Julho das Pretas no Museu Paranaense, a visibilidade da pauta negra com a sessão do Cine Adélia na Biblioteca, além de uma aula de dança especial oferecida pelo Teatro Guaíra.

Biblioteca Pública do Paraná (BPP) – Cinema Coletivo Adélia – Sessão do cineclube itinerante voltado para a discussão de temáticas negras. Sexta-feira, dia 21/07, às 18 horas, no auditório.

Rua Cândido Lopes, 133 – Centro, Curitiba – PR – (41) 3221-4951.

Museu Casa Alfredo Andersen (MCAA) – Oficina de crochê “Fazeduras Têxteis: crochê, costura e conversa” com a artista Eliana Brasil. Aliada à prática, o objetivo é que cada participante fale sobre as memórias e sensações que o crochê desperta.
Quinta-feira, 06/07, das 15h às 17h. Atividade aberta ao público em geral.

Interessados podem de inscrever neste formulário. Limite de 30 vagas.

Rua Mateus Leme, 336 – São Francisco, Curitiba – PR – (41) 3222-8262.

Centro Juvenil de Artes Plásticas (CJAP) – Oficina de crochê “Fazeduras Têxteis: crochê, costura e conversa” com a artista Eliana Brasil.

Terça-feira, 04/07, das 15h às 17h. Atividade direcionada aos alunos, pais e responsáveis vinculados ao CJAP, que podem se inscrever neste formulário. Limite de 30 vagas.

R. Mateus Leme, 56 – São Francisco, Curitiba – PR. (41) 3323-5643.

Museu da Imagem e do Som do Paraná (MIS-PR) – Mesa-redonda com a temática “Sexualidades Dissidentes”. A proposta é trazer mulheres pretas para um debate sobre a relação entre raça e gênero.

Quinta-feira, dia 13/07, às 17 horas.

Rua Barão do Rio Branco, 395 – Centro, Curitiba – PR – (41) 3232-9113.

Museu Paranaense (MUPA) – Ao longo deste mês o museu promove uma programação gratuita e aberta a todos os públicos com diversas atividades e espetáculos com o evento Julho das Pretas.

Domingos, dias 16 e 23/07, das 11h às 16h – Música, teatro, poesia, cultura tradicional e cultura de rua.

Rua Kellers, 289 – São Francisco, Curitiba – PR – (41) 3304-3300.

Centro Cultural Teatro Guaíra (CCTG) – Aula de balé com a professora e bailarina Luana Nery. A atividade acontece com foco no empoderamento de mulheres e meninas pretas através da dança.

Sexta-feira, dia 07/07, das 13 às 14 horas. Para participar, as interessadas e os interessados de todas as idades podem se inscrever até às 17h do dia 05/07 no e-mail [email protected], enviando: Nome, Idade, RG e informando o seu vínculo com a Secretaria da Cultura, sendo colaborador ou público externo. Limite de 25 vagas.

Entrada pelo Auditório Glauco Flores de Sá Brito (Mini Guaíra), na rua Amintas de Barros, sem número. (41) 3304-7900.

Tópicos