Volta ás Aulas

Rede estadual de ensino retoma as aulas do segundo semestre

O secretário estadual da Educação, Roni Miranda, esteve, no início desta manhã, no Colégio Estadual Cívico-Militar Elvira Cordeiro Ribas, no bairro Pinheirinho, em Curitiba, onde mais de mil alunos foram recepcionados para o retorno às aulas.

Rede estadual de ensino retoma as aulas do segundo semestre
Rede estadual de ensino retoma as aulas do segundo semestre
Foto: Lucas Fermin/Seed-Pr
Publicado em 24/07/2023 às 14:15

Começaram nesta segunda-feira (24) as aulas de cerca de um milhão de estudantes nos 2,1 mil colégios da rede estadual do Paraná. Após 15 dias de férias, os alunos retornaram às atividades para o segundo semestre de 2023.

O secretário estadual da Educação, Roni Miranda, esteve, no início desta manhã, no Colégio Estadual Cívico-Militar Elvira Cordeiro Ribas, no bairro Pinheirinho, em Curitiba, onde mais de mil alunos foram recepcionados para o retorno às aulas.

“Para o segundo semestre, o foco será intensificar os trabalhos na educação, lançando mão das ferramentas que já vêm contribuindo para um ensino ainda mais completo em toda a rede, como as plataformas de leitura – que ganharam novos livros voltados ao vestibular – e as de matemática, que somente no primeiro semestre de 2023 contabilizaram mais de 3 milhões de atividades”, disse.

Ele também fez um balanço do primeiro semestre. Somando um investimento de mais de R$ 250 milhões em equipamentos, o Governo do Estado entregou, por meio da Secretaria de Estado da Educação (Seed-PR), cerca de 38 mil computadores, 18.300 Chromebooks, 18.300 kits de peças eletrônicas e 50 mil tablets às escolas da rede estadual. Destinados ao uso em sala de aula, os dispositivos viabilizam o acesso às plataformas educacionais (como as de leitura, redação, inglês, lição de casa e matemática).

“As tecnologias desempenham papel crucial no processo de modernização que estamos promovendo na educação pública do Paraná. Por meio dela, nossos alunos alcançam melhor fixação do conteúdo e desenvolvem habilidades imprescindíveis no manejo tecnológico – essencial para uma boa colocação no mercado de trabalho”, destacou Miranda.

As plataformas educacionais se destacam como um dos principais investimentos do Governo estadual na educação. Ao disponibilizar recursos digitais para leitura, matemática e inglês, essas ferramentas tornam o aprendizado mais acessível e dinâmico. Com a utilização dessas plataformas, os estudantes têm a oportunidade de desenvolver habilidades específicas de forma interativa, personalizada e autônoma.

Além disso, o acesso a conteúdos atualizados e o acompanhamento individualizado favorecem o progresso educacional, contribuindo para a formação de cidadãos mais preparados para os desafios do futuro. Ao todo, somente em 2023 mais de R$ 15 milhões já foram investidos nas plataformas de matemática, inglês, programação e leitura.


SEGURANÇA – Por meio do trabalho conjunto com as forças de segurança pública, a Secretaria de Estado da Educação vem implementando uma série de ações em prol de um ambiente escolar ainda mais seguro e, no segundo semestre, o objetivo é intensificar tal planejamento.

Marcado pelas ações de treinamento, o primeiro semestre inaugurou o Curso de Capacitação em Segurança Escolar, destinado a professores e funcionários da rede. As orientações são ministradas, por meio de simulados, pelo Batalhão da Patrulha Escolar Comunitária (BPEC), com monitores de segurança e em conformidade com os protocolos internacionais de prevenção contra casos de violência.

Além dos treinamentos, o Governo do Estado está investindo também em novos equipamentos de segurança para as escolas da rede estadual. Mais de R$ 20 milhões já foram pagos na compra de infraestrutura de segurança para as escolas, como câmeras de monitoramento, portões e alarmes.

Outro dispositivo é o Botão de Emergência através do Registro de Classe Online (RCO), sistema já utilizado pelos docentes para controle de frequência e notas dos estudantes, além dos planos de aula. O Botão de Emergência é vinculado ao aplicativo 190 PR, da Polícia Militar e, ao ser acionado, gera um atendimento de emergência ao local solicitado.

Por fim, medidas de apoio e acolhimento em prol da saúde mental também fazem parte do plano de reforço em segurança. Mediante convênio com entidades de ensino superior do estado, o Governo vai disponibilizar 250 profissionais e bolsistas da área de Psicologia para atuarem no suporte a professores e estudantes em toda a rede, por meio da prevenção e identificação de potenciais riscos. Além destes, outros 57 assistentes sociais devem ser contratados para a mesma finalidade.

EJA EAD – Voltada aos jovens a partir de 15 anos e também adultos que não completaram o ensino regular, a Educação de Jovens Adultos (EJA) passa – a partir deste semestre – a ofertar a modalidade Ead, para os alunos impossibilitados de comparecer às aulas presencialmente. 79 escolas oferecerão o curso em modalidade híbrida – presencial e à distância – tanto para o ensino fundamental II quanto para o ensino médio. As aulas a distância são assíncronas (não são transmitidas ao vivo) e disponibilizadas em ambiente virtual.

Os conteúdos abordados são os mesmos da modalidade presencial e a frequência exigida para conclusão é de dois dias por semana. As escolas nas quais a modalidade EaD está disponível estão presentes em todas as regiões do Estado e podem ser conferidas AQUI.

EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL – Com expansão acelerada, o número de instituições que ofertam ensino integral para os ensinos fundamental e médio aumentou mais de 50% em toda a rede em 2023, o que terá continuidade neste segundo semestre. Com isso, 55 mil estudantes estão sendo atendidos na modalidade. Em 2022, 167 escolas faziam parte do Programa Paraná Integral. Já em 2023, este número saltou para 253 unidades.

Além destas, a rede conta com aproximadamente 150 escolas agrícolas que também ofertam cursos de educação profissional integrados ao ensino médio em tempo integral. O objetivo é que, até 2024, 400 escolas atendam tal modalidade de ensino.

COLÉGIOS CÍVICO-MILITARES – Além dos 194 Colégios Cívico-Militares (CCM) já existentes na rede estadual, as outras 12 Escolas Cívico-Militares (ECIM), integrantes do Modelo Federal, também passarão a funcionar sob o regimento estadual. A Secretaria da Educação, em parceria com a Secretaria da Segurança Pública, já abriu o processo seletivo para militares estaduais da reserva que queiram fazer parte do Quadro do Corpo de Militares Estaduais Inativos Voluntários (CMEIV), tornando-se aptos a atuarem nos colégios cívico-militares do Paraná.

O processo seletivo leva em consideração os requisitos estabelecidos na Lei nº 21.327, de 20 de dezembro de 2022, entre eles o número de vagas, locais de atuação e demais informações (veja o edital). O período de inscrição se encerra no dia 30 de julho e o resultado final será divulgado em 29 de setembro. 

GANHANDO O MUNDO – Outra novidade pedagógica para acompanhar no semestre é o Ganhando o Mundo versão ampliada. Com cinco destinos de língua inglesa (Austrália; Canadá; Estados Unidos; Inglaterra e Nova Zelândia), o programa chega à sua maior edição, em 2023, possibilitando que 1.000 alunos da rede estadual vivam a realidade de outros países como estudantes internacionais. Para enviá-los somente aos destinos de língua inglesa, quase R$ 91 milhões serão investidos ainda este ano.

Para a versão Ganhando o Mundo França, que levará 40 alunos ao país, no mês de outubro, serão destinados R$ 1,2 milhão. Já para o Ganhando o Mundo Professor, que também estreia em 2023, mais de R$ 4 milhões serão investidos para possibilitar a capacitação de 96 professores da rede estadual no Canadá e na Finlândia.