sustentabilidade

Tecnologia da Celepar ajuda a reduzir consumo de energia e impulsionar sustentabilidade no Governo

Ferramenta Ecenergia já está implementada nas secretarias da Administração e Previdência e do Planejamento. Sistema baseado em um script executado nos computadores apresenta funcionalidades que contribuem para a eficiência energética, segurança da informação e sustentabilidade.

Tecnologia da Celepar ajuda a reduzir consumo de energia e impulsionar sustentabilidade no Governo
Foto: José Fernando Ogura
Publicado em 23/06/2023 às 16:15

Solução que busca melhorar o consumo de energia em ambientes corportivos, o Ecenergia, desenvolvido pela Celepar, já está instalado nas secretarias da Administração e Previdência e Planejamento, abrangendo diversos prédios, como o Palácio das Araucárias, a Divisão de Perícia Médica (DPM) e Departamento Estadual de Arquivo Público (Deap).

O Ecenergia está no rol de iniciativas que atendem o compromisso da Celepar com o meio ambiente e a sustentabilidade. Por meio de sua expertise em soluções tecnológicas, a empresa contribui para o Governo do Paraná avançar em direção a um futuro mais verde, com o uso eficiente da energia e a adoção de práticas sustentáveis. Esse compromisso foi confirmado em 2015, com a adesão da Celepar aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas, em uma agenda até 2030.

O sistema, baseado em um script executado nos computadores das secretarias, apresenta funcionalidades que contribuem para a eficiência energética, segurança da informação e sustentabilidade. Uma das principais características do Ecenergia é o desligamento automático dos computadores após um determinado período de inatividade, reduzindo significativamente o consumo de energia. A ferramenta também proporciona economia de recursos e prolonga a vida útil dos equipamentos, evitando desgaste excessivo de componentes.

Além disso, ao bloquear automaticamente a tela após 30 minutos de inatividade, reduz o risco de acesso não autorizado às informações, aumentando a segurança. 

‌“Implementamos essa ferramenta em toda a Secretaria da Administração e Previdência, abrangendo três prédios em Curitiba”, diz Mario Cesar Nicoladelli, chefe da divisão Tecnologia da Informação, Comunicação e Sistema da Seap. Segundo ele, atualmente, 395 computadores da pasta estão executando o script (código de programação) na inicialização. 

“Os principais benefícios da ferramenta são a melhoria da segurança da informação, maior vida útil do hardware e educação e conscientização dos funcionários sobre economia de energia e segurança. Além disso, reduziu-se a necessidade de gerenciamento manual, permitindo que a equipe de TI se concentre em outras tarefas importantes”, afirma Nicoladelli.

Ele ainda‌ ressalta a parceria com a Celepar e a importância de se pensar em soluções sustentáveis. “Destaco o trabalho da companhia na criação de um script para melhorar o consumo de energia dos computadores. Essa iniciativa reflete nosso compromisso com práticas sustentáveis e eficientes, mantendo a qualidade do trabalho realizado pela nossa equipe”, complementa.

Com o uso desta solução, os resultados positivos são evidentes. Em alguns meses, observou-se uma redução na conta de luz, comparada ao mesmo período do ano anterior. “Essa economia financeira não apenas impacta positivamente o consumo de energia, mas também demonstra o compromisso da Celepar em promover práticas sustentáveis e conscientes”, afirma ‌Gabriel Vialich, colaborador da Celepar que participou da elaboração da ferramenta.

“É um orgulho ter contribuído e estou animado em expandir essa solução para mais locais, propiciando economia de recursos e consciência sobre sustentabilidade. É uma oportunidade de impactar positivamente as práticas tecnológicas e sustentáveis do governo estadual”, completa.

Vialich informou, ainda, que os resultados são considerados excelentes pela eficiência energética, maior vida útil do hardware e segurança aprimorada. “O script está funcionando nas secretarias da Administração e do Planejamento, e pode ser adotado por outros órgãos estaduais”, arremata.